sábado, 7 de março de 2015

É Deus a bomba atômica para seus problemas e inimigos?

Há muito tempo que a religião organizada tem usado Deus como a sua "arma nuclear" em sua "guerra pelo mundo perfeito".

Não raro a religião utiliza "a Bíblia" para defender a ideia de que Deus será o responsável pelo homicídio de bilhões de pessoas a fim de trazer um "mundo perfeito".

Um dos argumentos que as religiões usam para apoiar a ideia de que Deus "matará os humanos injustos" em um evento épico é que Deus já fez isso no passado: no Dilúvio.

Mas se lermos o relato bíblico do Dilúvio acompanhado de discernimento, concluiremos que o relato prova justamente o oposto do que dizem as religiões.


Eis o Relato em Gênesis 9:8
 E Deus prosseguiu, dizendo a Noé e aos seus filhos com ele: 9 “E quanto a mim, eis que estabeleço o meu pacto convosco e com a vossa descendência depois de vós, 10 e com toda alma vivente que está convosco, dentre as aves, dentre os animais e dentre todas as criaturas viventes da terra convosco, de todos os que saem da arca até toda criatura vivente da terra. 11 Sim, deveras estabeleço o meu pacto convosco: Não mais será toda a carne decepada pelas águas dum dilúvio e não mais virá a haver dilúvio para arruinar a terra.”
12 E Deus acrescentou: “Este é o sinal do pacto que dou entre mim e vós, e toda alma vivente que está convosco, para as gerações por tempo indefinido. 13 Dou deveras o meu arco-íris na nuvem, e ele terá de servir de sinal do pacto entre mim e a terra. 14 E acontecerá que, quando eu trouxer uma nuvem sobre a terra, então é que aparecerá o arco-íris na nuvem. 15 E hei de lembrar-me do meu pacto entre mim e vós, e toda alma vivente dentre toda a carne; e as águas não se tornarão mais um dilúvio para arruinar toda a carne. 16 E terá de vir a haver o arco-íris na nuvem, e eu certamente o verei para me lembrar do pacto por tempo indefinido entre Deus e toda alma vivente dentre toda a carne que há na terra.”
17 E Deus repetiu a Noé: “Este é o sinal do pacto que deveras estabeleço entre mim e toda a carne que há na terra.”

Do texto acima, destacamos as seguintes sentenças:

"Não mais será toda a carne decepada pelas águas dum dilúvio e não mais virá a haver dilúvio para arruinar a terra."
"as águas não se tornarão mais um dilúvio para arruinar toda a carne"


Agora que entra o Discernimento….

"Os fins e os meios"

No caso do Dilúvio, qual foi "os fins" , quer dizer, os objetivos?
Resposta: "arruinar a terra", "arruinar toda a carne", "toda a carne decepada", "obliterar da superfície do solo os homens"

E qual foi o "meio" ou modo utilizado?
Resposta: "pelas águas dum dilúvio".

Será que Deus poderia simplesmente mudar os "meios" para atingir o "mesmo fim" ou resultado final sem ao mesmo tempo violar o seu pacto?

O que é mais relevante? O Meio ou O Objetivo?

Imagine um homem que faz o seguinte pacto: "Nunca mais irei matar ninguém com uma faca".

Você consideraria tal homem "um cumpridor de pactos" se amanhã ele matasse alguém com um revólver? Naquilo que importa... apenas o meio mudou...

Faz diferença se ele mata alguém com faca, revólver ou a pedradas? O ponto relevante é: matar. O meio em si POUCO IMPORTA.

Um "Dilúvio de fogo": ainda é um "Dilúvio" - para todos os fins


Se um governante prometesse nunca mais matar seus inimigos com uma bomba de fissão nuclear. Estaria tudo certo se ele usasse uma bomba de fusão nuclear? Apenas o Meio mudou. Isso faz realmente diferença na questão? Faz diferença na promessa?

Enchente de fogo ou de água, no final, qual a diferença?

De modo que o relato Dilúvio entendido com discernimento indica que uma "bomba" , seja ela feita de água, fogo, urânio, hidrogênio, etc,  com o objetivo de "aniquilar toda a carne" nunca mais será usada por Deus contra o homem.

"Este é o sinal do pacto que dou entre mim e vós...para as gerações por tempo indefinido. "


"não mais virá a haver dilúvio para arruinar a terra." - "d'água, d'fogo" 

             A Sabedoria é a arma nuclear mais potente de todas.

A única arma que o príncipe da Paz usou quando esteve na terra foi Inteligência e Sabedoria. Com essa "espada" ele quebra as nações.

O ser humano não precisa ser morto. O que ele precisa saber (sabedoria) é que ele já é morto:

Lucas 9:60 Mas ele lhe disse: “Deixa que os mortos enterrem seus mortos, mas tu, vai e divulga o reino de Deus.”

Assim, qual a grande vantagem em matar quem já é morto?

A única guerra que o ser humano deveria se preocupar é a guerra contra si mesmo. A fim de passar a viver:

João 8:51 Digo-vos em toda a verdade: Se alguém observar a minha palavra, nunca jamais verá a morte.”

João 11:26 e todo aquele que vive e exerce fé em mim nunca jamais morrerá.Crês isso?

Jo 8:24  "Por isso é que eu disse que vocês morrerão em seus próprios pecados" - eis a guerra em que o ser humano decide se vai morrer…

A verdadeira vitória não envolve Poder, envolve Sabedoria…

"Sobreviventes do 'DiFogo' - morrerão em seus próprios pecados "

O único ser que está desejoso de um cataclismo nuclear com "armas que não usam o fogo da Sabedoria" é o próprio homem.



O que vai realmente "mudar o mundo" não é ver pessoas serem mortas por Deus e sim ver pessoas não mais morrerem; justamente porque elas escolheram obedecer à Deus em vez de praticar "seus próprios pecados".


Você crê nisso?











terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

"vou descobrir para eles as tuas partes pudendas"

Ezequiel 16:35 “Portanto, ó prostituta, ouve a palavra de Jeová. 36 Assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Visto que se derramou a tua lascívia e se descobrem as tuas partes pudendas nos teus atos de prostituição para com os que te amam apaixonadamente e para com todos os teus detestáveis ídolos sórdidos, até mesmo com o sangue dos teus filhos que lhes entregaste, 37 portanto, eis que estou reunindo contra ti todos os que te amam apaixonadamente, aos quais davas prazer, e todos os que amaste, junto com todos os que odiaste, e eu vou reuni-los contra ti de todos os arredores e vou descobrir para eles as tuas partes pudendas, e eles terão de ver todas as tuas partes pudendas.