quinta-feira, 24 de maio de 2012

Os Fundamentos das Escrituras



Prólogo: Os Fundamentos das Escrituras

A Fé em Deus e em tudo o que gira em torno desse tema é algo muito discutido na história da humanidade. Muitas pessoas possuem uma visão distorcida de Deus e de Sua Palavra – A Bíblia , pois elas possuem um conceito equivocado ou falho do que venha a ser fé.

Pergunta: O que é Fé?

Muitos responderiam que fé é um sentimento que emana principalmente do coração que o leva a crer em algo, mesmo que o exercício de 'tal fé' não tenha como ser explicado, em outras palavras, mesmo que seja baseado em um dogma.
Por exemplo, veja a definição de fé descrita no site http://pt.wikipedia.org/wiki/Fé

Definição (A) - wikipedia
Fé (do Latim fides, fidelidade e do Grego pistia[1] ) é a firme opinião de que algo é verdade, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que depositamos nesta idéia ou fonte de transmissão.

No entanto, contraste agora essa definição de fé dada acima, com a definição de fé encontrada nas Escrituras:

Definição (B) - Escrituras
Hebreus 11:1 Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem.(Almeida)

De acordo com a definição (B) Bíblica de Fé, a própria definição (A) não poderia ser considerada como “fé” pois a concepção de fé em (A) está destituída de “qualquer tipo de prova”.
Na Bíblia, não existe fé se não houver prova ou argumentos que colaborem para essa fé:
“ fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas”

Se não houver fundamento ou prova, “a fé não é nada”

Pela visão das Escrituras, perguntar se alguém tem fé, eqüivale a perguntar, por exemplo:

Você tem fé em Deus? É o mesmo que dizer:
Você tem o “firme fundamento” , a “prova” ou demonstração lógica de que Deus existe?

Se uma pessoa afirma ter fé, ela deve ser capaz de apresentar o equivalente fundamento ou prova ou argumento de defesa de sua crença. Fé é a Base ou Fundamento de uma convicção.

E quando dizemos que algo está relacionado à “fundamentos”, “prova” ou “demonstração” estamos realmente dizendo que este algo está relacionado à Lógica, à Razão, às Faculdades Intelectuais ou Intelecto, e por definição, a fé Bíblica depende de fundamentos, provas ou em outras palavras, a fé depende da Lógica, do Raciocínio, do Intelecto.

A própria crença na existência de Deus depende do uso da Lógica, sendo a Teoria da Informação um dos fundamentos da crença em um Criador.
Por exemplo, a seqüência de Letras abaixo constitui dados, mas não constitui informação:

'SARSIUCERT' (não é informação)

Já a próxima seqüência constitui informação:
'ESCRITURAS' (palavra)
Ou seja, informação é a organização objetiva e funcional de dados. Informação é dependente de um Protocolo ou Gramática previamente estabelecidos.

Um outro exemplo: para que a seqüência de dígitos binários 1001001100110011 seja funcional dentro de uma região de memória de um computador, é necessário estabelecer o Tipo (protocolo) de dado que a seqüência representa. A seqüência anterior poderia representar um número inteiro de 16 bits ou dois caracteres de 8 bits cada um.

A Biologia Moderna tem comparado o DNA encontrado nas células dos seres vivos a um código digital. O DNA é como um sistema de comunicação digital onde a informação dentro dele é similar a uma linguagem escrita ou a um programa de computador – provido de “letras” (bases) que precisam ser corretamente arranjadas de modo a compor palavras que constituem Informação (possuem arranjo Funcional) a ser processada.

O código de máquina (instruções computacionais) presente nos genes é como a de um computador ou sistema digital, e como todos nós (engenheiros ou não) sabemos, computadores ou sistemas digitais de comunicação são Projetados.

Porém para os darwinistas modernos a evidência de projeto é apenas “ilusória”. Para eles o sistema de comunicação digital presente no DNA é resultado de forças cegas da seleção natural (isso implica muito na definição (A) de fé ).

A seleção natural dos darwinistas encontra um grande problema diante da origem da Informação presente no DNA.
Para a seleção natural “operar” e acontecer é necessário a existência de organismos que se auto reproduzam – que geram “descendentes”, e assim competem entre si para serem enfim “selecionados” .
Só que para um organismo se reproduzir, ele depende da (pré) existência da informação (sistema digital) contida no DNA. Para haver seleção natural, precisa haver organismos que se auto replicam, assim implicitamente a seleção natural pressupõe a existência de informação no DNA.
Mas era justamente isso: a origem da informação do DNA, que se desejava explicar com a seleção natural desde o começo.
Em Lógica, tal tipo de abordagem é chamado de raciocínio circular: pressupõe-se implicitamente a existência da própria coisa que se tenta provar em primeiro lugar desde o princípio.

Portanto, pela lógica, a seleção natural não pôde produzir a informação (protocolo, gramática) contida no DNA necessária para a Vida. Essa teoria é incapaz de responder à seguinte questão:

Qual a origem da informação presente no DNA?

Baseado em nossa experiência ou empirismo (método Científico: Observação – Hipótese – Experimento – Conclusão).
Que Causa é capaz de produzir Informação?
Qual a causa em operação capaz de produzir arranjos funcionais de dados que cumprem determinado objetivo?

Só existe uma única causa conhecida capaz de produzir informação: INTELIGÊNCIA
A criação de arranjo objetivo e funcional de dados (Informação) é produto de atividade consciente: jornal,livro, receita de bolo, código fonte de computador, desenhos técnicos, etc.

Se nós trilharmos a informação da receita de bolo de volta à sua origem ou fonte, chegaremos em uma Mente de um agente Inteligente.
A experiência mostra que sempre que nos deparamos com Informação, seja ela um hieróglifo do Egito ou sinais de rádio ou uma receita de bolo – ela é sempre oriunda de uma fonte inteligente – da mente de agentes inteligentes.

A Informação ou a organização funcional e objetiva de dados é produto de Inteligência.

Assim quando encontramos Informação digital no DNA, a única conclusão por meio de Raciocínio Lógico é que Inteligência teve um papel fundamental em sua Origem.

Portanto a fé, conforme definida nas Escrituras, deve ser acompanhada de firme Fundamento ou Prova baseada em Raciocínio Lógico.

Por conseguinte, se a própria crença em Deus exige o uso de Raciocínio Lógico a fim de ser fé Fundamentada e não apenas credulidade, tão pouco poderíamos descartar o Raciocínio Lógico ao interpretar as Instruções Contidas na Palavra de Deus.

A Verdade Bíblica criada por Deus, assim como a Lógica ou Matemática ou Física, não é democrática – Ela não depende do voto da Maioria para Existir nem para ser aceita. 

A Verdade Bíblica é como uma constante Física Universal- ela está sempre presente – quer nós queiramos ou não.
Portanto a dissertação que se segue examina as Escrituras deixando que ela mesma se interprete (2 Pe 1:20), fazendo isso sempre em harmonia com o Raciocínio Lógico. Como vimos, a própria crença em Deus exige o uso de raciocínio lógico, naturalmente o entendimento correto da Palavra de Deus faz a mesma exigência.

Os Fundamentos das Escrituras dependem da aplicação de Raciocínio Lógico.(Atos 9:22, Atos 17:2-3) 


Esse foi o prólogo da seguinte carta: Dissertação Presença futura de Cristo



Nenhum comentário: