segunda-feira, 17 de setembro de 2012

os quatro atos prejudiciais de julgamento

Nesse artigo analisaremos com a lupa espiritual (1 Cor 2:14,15) a correlação entre duas passagens bíblicas e a dedução lógica do ponto de vista espiritual.

Ezequiel 14:21 “Pois assim disse o Soberano Senhor Jeová: ‘Assim [será] também quando houver os meus quatro atos prejudiciais de julgamentoa espada, e a fome, e a fera nociva, e a peste — que eu realmente enviarei sobre Jerusalém, a fim de decepar dela o homem terreno e o animal doméstico.

Note que os quatro atos prejudiciais de julgamento da parte de Deus incidem sobre Jerusalém, a cidade santa.

Comparemos o texto de Ezequiel com Revelação 6:7-8:

Revelação 6:7 E quando abriu o quarto selo, ouvi a voz da quarta criatura vivente dizer: “Vem!” 8 E eu vi, e eis um cavalo descorado; e o que estava sentado nele tinha o nome de Morte. E o Hades seguia-o de perto. E foi-lhes dada autoridade sobre a quarta parte da terra, para matar com uma longa espada, e com escassez de víveres, e com praga mortífera, e pelas feras da terra.

Essa passagem de revelação também faz menção dos “quatro atos prejudiciais de julgamento de Jeová”.

Podemos fazer a seguinte associação

Ezequiel → Revelação
'a espada' → 'longa espada'
'a fome' → 'escassez de víveres'
'a fera nociva' → 'feras da terra'
'a peste' → 'praga mortífera'

Como a própria introdução do livro de Revelação diz, os eventos descritos são descritos em termos simbólicos ou “sinais”:
Revelação 1:1 Revelação de Jesus Cristo, que Deus lhe deu, para mostrar aos seus escravos as coisas que têm de ocorrer em breve. E ele enviou o seu anjo e [a] apresentou por intermédio dele em sinais.

Portanto é obrigatório olharmos por meio da lupa espiritual (1 Cor 2:14,15)

As Escrituras é que devem interpretar a si mesmas, ou seja, as informações dos escritos se complementam.

Assim somando-se as informações dos textos de Ezequiel e Revelação, podemos deduzir que:

Os quatros atos prejudiciais de julgamento incidem sobre Jerusalém, ou cidade santa, ou seja, incidem sobre o povo de Jeová, mas especificamente os cristãos ungidos (Rev 11:2)

Assim o povo de Jeová (“enviarei sobre Jerusalém” - o local sobre o qual o nome de Jeová é invocado) seria assolado por:

'a espada' → 'longa espada'

A espada se refere à Palavra de Deus, ou Escrituras. Se refere à Verdade contida nas Escrituras ou que saem da boca de Jesus Cristo, o Espírito da Verdade (Efésios 6:17, Rev 11:15)
A espada da Verdade causa divisão, causa guerras ou fim da paz:

Mateus 10:34 Não penseis que vim estabelecer paz na terra; vim estabelecer, não a paz, mas a espada. 35 Pois vim causar divisão;

Oséias 6:5 Por isso terei de talhá-los por meio dos profetas; terei de matá-los por meio das declarações da minha boca.

Rev 13:9 Se alguém tiver ouvido, ouça. 10 Se alguém [é destinado] ao cativeiro, ele vai ao cativeiro. Se alguém matar com a espada, terá de ser morto com a espada. Aqui é que significa a perseverança e a fé dos santos.

Mateus 24:28 Onde estiver o cadáver ['morto', 'desassociado da vida'], ali se ajuntarão as águias.

'a fome' → 'escassez de víveres'

Mateus 16:11 Como é que não discernis que não vos falei de pães?

Amós 8:11 “‘Eis que vêm dias’, é a pronunciação do Soberano Senhor Jeová, ‘e eu vou enviar uma fome à terra, uma fome, não de pão, e uma sede, não de água, mas de se ouvirem as palavras de Jeová. 12 E certamente andarão cambaleantes de mar a mar, e desde o norte até o nascente. Continuarão a percorrê-la procurando a palavra de Jeová, mas não [a] acharão.

Isaías 28:8 Porque as próprias mesas ficaram todas cheias de vômito asqueroso — não há lugar [sem ele].9 A quem se instruirá em conhecimento e a quem se fará compreender o que se ouviu?

Ou seja, essa fome ou escassez de víveres reflete a carência de alimento espiritual 'na terra' – na terra de Jerusalém – o local onde Jeová fez residir o Seu Nome, o povo de Jeová.
O povo de Jeová procuraria “comida” ou “alimento” mas não acharia. E a comida colocada à mesa, seria vômito.

'a fera nociva' → 'feras da terra'

Nas Escrituras 'fera' denota Organização, Governantes Humanos, Arranjos terrestres.
Homem domina homem para o próprio prejuízo. Ecl 8:9
Toda coisa altiva entre os homens é uma coisa repugnante à vista de Deus, ou seja, uma besta ou fera – 'um coração de animal'. Lucas 16:15, Daniel 4:16
Assim o povo de Deus seria afligido por 'feras'.

'a peste' → 'praga mortífera'

Revelação 11:6 Estas têm autoridade para fechar o céu, para que não caia chuva durante os dias do seu profetizar, e têm autoridade sobre as águas, para transformá-las em sangue, e para golpear a terra com toda sorte de praga, quantas vezes quiserem.

pragas” simbolizam julgamentos adversos da parte de Deus ou uma condição impura perante Deus.

Rev 2:23 E matarei os filhos dela com praga mortífera, de modo que todas as congregações saberão que sou eu quem pesquisa os rins e os corações, e eu vos darei individualmente segundo as vossas ações.

Assim os quatro atos de Julgamento refletem a condição dos cristãos [ungidos] (a quarta parte deles) – afastados da Vida. (João 14:6, Isaías 28:14-21)

É interessante e fundamental notarmos que “os quatro atos prejudiciais de julgamentoa espada, e a fome, e a fera nociva, e a peste” também são descritos como os sinais da presença de Jesus Cristo e da terminação do sistema de coisas. Mateus 24:7 Marcos 13:8,12 Lucas 21:10-13.16,17

“O reino de Deus não vem de modo impressionantemente observável" - Lucas 17:20

Continuemos a olhar e vigiar por meio da 'lupa espiritual'

Nenhum comentário: