quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Nação Santa, parte 1

Nos artigos que seguem analisaremos a superioridade do Reino de Jesus Cristo (Col 1:13) sobre o antigo reino de Israel.

Veremos como a antiga nação pactuada de Deus era apenas sombra da realidade: sendo a realidade a nação santa que pertence à Cristo.

É interessante notarmos que o propósito de Jeová Deus continuou o mesmo, desde a sombra da nação de Israel, até a realidade que pertence a Jesus Cristo.(Colossences 2:17)

Lemos sobre o propósito de Jeová para com o seu povo do passado: Uma nação santa.

Êxodo 19:6 E vós mesmos vos tornareis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.’ Estas são as palavras que deves dizer aos filhos de Israel.”

Embora a nação carnal de Israel, em sua maioria, rejeitou tal privilégio, Deus fez com que a sombra pudesse ser realidade por meio de Jesus Cristo.

A sombra: O Reino de Israel carnal.

O reino da antiga nação de Israel possuía vários elementos que faziam parte do povo sobre o qual o Nome Santo de Deus, Jeová, era invocado:

Eles possuíam:

Um Templo:
O Templo era onde o próprio espírito de Deus habitava, era chamado de Casa de Deus, quer dizer era o local onde Jeová colocava o Seu Espírito, onde Ele residia:
Êxodo 25:8
8 E eles têm de fazer um santuário para mim, visto que tenho de residir no meio deles.

Assim Jeová residia com a presença de Seu Espírito Santo, no meio do povo de Israel.

Deus residiu num tabernáculo ou tenda feita de panos por muitos anos e depois nos dias dos reis, um Templo foi construído (2 Samuel 7:1-3).
A Casa de Deus aqui na terra era o lugar onde Jeová colocava Seu Espírito, era um Lugar Santo.
Uma vez por ano, todos os varões dessa nação tinham que ir até o Templo em  Jerusalém.

Sacerdotes: Uma das 12 tribos de Israel, os levitas, eram uma tribo sacerdotal. Os sacerdotes que eram dessa tribo realizavam os sacrifícios de animais e as ofertas no Templo pelos pecados do povo e deles mesmos. Os sacerdotes eram “intercessores”, “advogados”, “representantes”, “embaixadores” entre Deus e os homens.

Um Sumo-sacerdote: O Sumo Sacerdote (Grande Sacerdote) era o único que tinha a permissão de entrar, uma vez por ano, no local onde o Espírito Santo de Jeová residia dentro do Templo, o lugar Santíssimo. Assim o Sumo-Sacerdote entrava simbolicamente diante da presença de Deus.

Um povo gerado de 12 pessoas – descendentes de Abraão: A nação era composta dos 12 filhos de Jacó, neto de Abraão

Uma cidade para ser a capital do Reino:
Jeová escolheu a cidade de Jerusalém (Salém) para ser a capital do reino:
2 Crônicas 6:6 Mas escolherei Jerusalém para que o meu nome mostre estar ali e escolherei a Davi para vir a estar sobre o meu povo Israel.’

Um Rei:
Como vimos em artigos passados o próprio Jeová era o Rei daquela nação.
Contudo, nos dias do juiz Samuel o povo se rebelou contra o Seu Rei Jeová, pedindo um rei humano, um rei que fosse filho de homem.

Entrementes Jeová escolheu Davi, um pastor de ovelhas, para ser o rei daquela nação.
2 Crônicas 6:6 Mas escolherei Jerusalém para que o meu nome mostre estar ali e escolherei a Davi para vir a estar sobre o meu povo Israel.’

Davi se tornaria o pai de vários reis (seus descendentes) que reinariam na terra de Israel.

Os filhos dessa nação se multiplicavam por meios carnais.

Essa nação constituía a representação do Reino de Deus na terra. Era uma representação do Reino dos Céus. Era a Embaixada do Governo de Deus aqui na terra.

Tal nação de Deus, desde seus primórdios, teve seus altos e baixos. Jeová vencia as batalhas deles, mas também os disciplinava quando era necessário.

A antiga nação de Israel continuou no privilegiado estado de Embaixada do Reino dos Céus ou representação terrestre do Reino até os dias de Jesus e prova disso são as palavras de Jesus Cristo:

Mateus 5: 35 "...Não jureis absolutamente... nem por Jerusalém, porque é a cidade do grande Rei.

Jesus disse que o espírito de Jeová ainda residia na Casa de Deus:

Mateus 23:21 "e quem jurar pelo templo, está jurando por ele e por aquele que habita nele "

Jesus limpou o Templo, a casa de Jeová duas vezes, e o fez com veemência, e disse a respeito do Templo: “Casa de Meu Pai” - Casa de Jeová, "aquele que habita nele"

"Parai de fazer da casa de meu Pai uma casa de comércio!” - João 2:13-25

Êxodo 25:8 E eles têm de fazer um santuário para mim, visto que tenho de residir no meio deles.
Até os dias de Jesus Cristo, Jerusalém era "a cidade do grande Rei ",e o Rei que habitava nela, com seu Espírito, era Jeová, essa cidade, com seu Templo, representava o Reino de Deus na terra. Zac 4:6

A quebra da Aliança

Nos dias de Jesus Cristo, a nação carnal de Israel fez uma escolha que comprometeu a posição dela como embaixada do reino dos céus – posição que até então ela usufruía de representação terrestre do Governo de Deus.

Eles escolheram rejeitar o Filho de Deus.
Eles mataram o de Israel, o Rei Ungido com Espírito Santo de Jeová: Jesus Cristo.
Eles mataram aquele que foi feito Rei “em nome de Jeová” - com o Espírito Santo de Deus.

João 1:49 Natanael respondeu-lhe: “Rabi [Jesus], tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel.”

Lucas 19:38 dizendo: “Bendito Aquele que vem como Rei em nome de Jeová! Paz no céu e glória nos lugares mais altos!”

Mateus 21: 5 “Dizei à filha de Sião: ‘Eis que o teu Rei está vindo a ti’”

João 7:29 “ Eu o conheço [à Jeová], porque sou representante [Rei Ungido] dele, e Este me enviou.

O que eles fizeram com Jesus Cristo foi o mesmo que eles teriam feito com o próprio Jeová – o Deus Criador daquela nação!!

    "Quem me odeia, odeia também o meu Pai."

João 15:22 Se eu não tivesse vindo e falado com eles, não teriam pecado; mas agora não têm desculpa para o seu pecado. 23 Quem me odeia, odeia também o meu Pai. 24 Se eu não tivesse feito entre eles as obras que ninguém mais fez, não teriam pecado; mas agora eles têm visto e têm odiado tanto a mim como a meu Pai.

A nação de Israel carnal “odiou a Jeová”
A nação de Israel honrava a Jeová com os lábios, invocavam o nome de Deus, consideravam se povo de Jeová, faziam prosélitos, mas faziam as obras do Diabo:

João 8: 44 Vós sois de vosso pai, o Diabo, e quereis fazer os desejos de vosso pai.
47 Quem é de Deus escuta as declarações de Deus. É por isso que não escutais, porque não sois de Deus.”

Assim, o privilégio de serem a embaixada do Governo de Deus na terra foi removido deles, eles não mais seriam a representação terrestre do Governo dos Céus: O reino de Deus lhes foi tirado.

Mateus 21:43
'É por isso que vos digo: O reino de Deus vos será tirado e será dado a uma nação que produza os seus frutos.'

Mateus 23:38 'Eis que a vossa casa vos fica abandonada'

Daí em Diante, Jeová retiraria a Sua Presença daquele lugar, retiraria o seu espírito santo daquele lugar.

O reino de Deus, a representação terrestre do Reino, seria dado a uma nação. O espírito santo de Jeová iria passar a residir em uma nova nação. Jeová não mais habitaria naquele Templo em Jerusalém. O Espírito Santo iria se mudar. Iria para "outra casa".

No próximo estudo analisaremos o Templo, o Rei, o Sumo Sacerdote, os sacerdotes , as 12 tribos, os descendentes de Abraão, a capital da nova nação que recebeu o reino de Deus, o Reino de Deus foi dado a essa nação e assim essa nova nação passaria a representar o Reino de Deus na terra.

É com essa nação que Jeová manteria o seu propósito original (Isa 55:11)

Êxodo 19:6 E vós mesmos vos tornareis para mim um reino de sacerdotes e uma nação santa.’ 

Leia a parte 2

Nenhum comentário: