terça-feira, 7 de agosto de 2012

A fim de que nos escravizassem completamente


Este assunto surgiu por causa dos falsos irmãos que se intrometeram entre nós. Eles vieram com o fim de espiar a liberdade que temos em Cristo Jesus, e assim nos escravizar. 5 Mas nós não cedemos a esses irmãos nem por um minuto, para que a verdade das Boas Novas permanecesse entre vocês.
6 Eu não recebi nenhuma idéia nova daqueles que pareciam ser de maior influência. Aliás, para mim nem faz diferença o que eles eram, pois todos os homens são iguais diante de Deus.” - Gálatas 2:4-6

Conforme exposto no artigo anterior, o uso de nossa faculdade de raciocínio nos habilita a oferecer um sacrifício vivo e agradável a Deus. Rom 12:1

Por outro lado, a irracionalidade avilta nosso sacrifício a Deus:

blasfêmia, soberba, irracionalidade. 23 Todas estas coisas iníquas saem de dentro e aviltam o homem.” Marcos 7:22

Definição de irracionalidade
s. f.
Qualidade ou caráter de irracional; absurdo.

Definição de Irracional :
Que não é dotado de razão, de raciocínio.
Contrário à razão; desarrazoado.
Que não é racional. Que não tem a faculdade do raciocínio. Oposto à razão.

Conforme descrito em artigos anteriores, quando fui julgado pela comissão judicativa ou mesmo quando falei com vários irmãos sobre os equívocos inerentes da doutrina sobre 1914, eu apresentei todos os meus argumentos com base nas Escrituras (Atos 18:28). Não defendi de forma arbitrária os meus conceitos. Eu raciocinei e defendi cada ponto à base das Escrituras.
Meus argumentos estão descritos em vários artigos desse blog. (Veja índice de Assuntos)

Embora tenha apresentado os argumentos em minha dissertação, todas as pessoas com que falei nesses últimos meses, nem mesmo os juízes/anciãos que julgaram-me, nenhuma delas apresentaram qualquer contra-argumentação, racionalmente válida, diante questão apresentada.

Por que digo contra-argumentação racionalmente válida?

Porque simplesmente afirmar: “Mas não é isso que o Corpo Governante ensina ou não é isso o que a organização ensina atualmente” - isso não constitui argumentação racionalmente válida.

De fato, os que aderem a tal tipo de argumentação estão na verdade abrindo mão, negligenciando, descartando a própria faculdade de raciocínio.

O ser humano que descarta a faculdade de raciocínio não é capaz de realizar um sacrifício vivo e aceitável à Deus. (Rom 12:1)

Desprezar a própria faculdade de raciocínio é equivalente a sofrer morte cerebral.

Uma pessoa que sofre “morte cerebral”, por abandonar a faculdade de raciocínio, se torna incapaz de realizar aquilo que o Mestre Jesus nos admoestou:

Por que não julgais também por vós mesmos o que é justo?” - Lucas 12:57

Da mesma forma, o uso da faculdade de raciocínio nos habilita a obedecer o conselho Bíblico:

Persisti em examinar se estais na fé, persisti em provar o que vós mesmos sois” - 2 Cor 13:55

São as faculdades perceptivas (mediante o raciocínio lógico) que nos habilita a distinguir tanto o certo como o errado. (Heb 5:14)

A “morte cerebral” em sentido espiritual (abandono do raciocínio lógico) nos faz ter olhos que não podem ver, e ouvidos que não podem ouvir:

Ezequiel 12:2
2 “Filho do homem, estás morando no meio duma casa rebelde,sendo que eles têm olhos para ver, mas realmente não vêem,e têm ouvidos para ouvir, mas realmente não ouvem, pois são uma casa rebelde.

Jeremias 5:21
21 “Ouvi, pois, o seguinte, ó povo estulto, sem coração: Eles têm olhos, mas não podem ver; têm ouvidos, mas não podem ouvir.”

Isaías 56:10 Seus vigias são cegos. Nenhum deles se apercebeu.Todos eles são cães mudos; são incapazes de latir, estão ofegantes, deitados, gostando de cochilar

Jeremias 4:22
Pois meu povo é tolo.Não fizeram caso de mim. São filhos estultos; e não são os que têm entendimento. São sábios para fazer o mal, mas para fazer o bem eles realmente não têm conhecimento.

Isaías 42:18
Ouvi, ó surdos; e olhai para ver, ó cegos. 19 Quem é cego, se não o meu servo, e quem é surdo como o meu mensageiro a quem envio? Quem é cego como o recompensado, ou cego como o servo de Jeová? 20 O caso era de se verem muitas coisas, mas não ficaste vigiando. O caso era de se abrirem os ouvidos, mas não ficaste escutando.

O “animal” espiritualmente cego e coxo é incapaz de Ver e Andar por si mesmo. O cego e coxo, enquanto estiver nesse estado cativo, dependerá de outros para ver e andar e dessa forma ele nunca alcançará a Liberdade com que Jesus Cristo nos libertou (Gal 5:1). Ele continuará em cativeiro espiritual.
Cegos e Coxos são dependentes de guias e muletas.

O coxo e o cego continua totalmente “escravizado” por àqueles que se infiltraram em nosso meio para vigiar do alto e impor-lhe tal regime de escravidão e cativeiro espiritual.

E como todos nós devemos saber, Jeová não aceita sacrifícios de 'animais' coxos e cegos, não aceita o sacrifício dos que desprezam, pela falta de uso, a faculdade de raciocínio:

Lemos em Malaquias 1:7,8
“‘E vós dissestes: “De que modo te poluímos?”’
“‘Por dizerdes: “A mesa de Jeová é algo desprezível.” 8 E ao apresentardes um [animal] cego para ser sacrificado: “Não é mau.” E ao apresentardes um [animal] coxo ou doente: “Não é mau.”’”

A Verdade sempre é defendida por meio da faculdade de raciocínio.
A mentira é defendida por meio da tirania, da ameaça, da coação e da irracionalidade.

Tal irracionalidade, como veremos em um artigo futuro, é o caminho para a idolatria. (Isaías 44:8-11)
Veremos como o hodierno povo de Jeová se curva diante de um Bezerro de Ouro numa “proclamada festividade para Jeová”.

Nenhum comentário: